Anafilaxia

Saiba o que é a anafilaxia e como tratá-la

Artigo publicado por Roberto Magalhães nas categorias: Doenças

Diminuidor

Segundo a OMS, Organização Mundial da Saúde, até 15% de toda a população mundial está sujeita ao risco de sofrer com uma crise anafilática, portanto. conheça mais sobre ela, seus sintomas, formas de prevenção e tratamento.

O que é

Também chamada de reação anafilática ou de choque anafilático, a anafilaxia é uma reação alérgica aguda e generalizada que pode ser fatal para o paciente acometido. A anafilaxia ocorre, normalmente, em indivíduos que já possuem certa sensibilidade à exposição de substâncias que causam certos tipos de alergia. Substâncias contidas em medicamentos, determinados tipos de flores ou alimentos e picadas ou contato com insetos são os principais alérgenos que podem causar a doença. Pacientes que possuem asma também estão na faixa de pacientes propensos a sofrer com a anafilaxia.

Os sintomas da anafilaxia desencadeiam-se entre 15 e 30 minutos após a exposição à substância que causa a alergia no paciente. Quando acometido, o paciente pode sentir, imediatamente, dificuldade para respirar, mal-estar generalizado e perda da consciência.  Por se tratar de uma doença que pode levar o paciente a óbito, a anafilaxia deve, sempre, ser considerada e encarada como uma emergência. Logo que se perceba a reação alérgica, deve-se procurar o acompanhamento médico.

anafilaxia

Por que ocorre

Após a exposição a uma substância que causa alergia no paciente, como o veneno de uma picada de abelha, por exemplo, o sistema imunológico da pessoa torna-se sensível a ela e isso causa a anafilaxia. Quando o paciente entra novamente em contato com essa substância alérgena a reação do organismo pode causar o choque.  O corpo, então, pode liberar uma substância chamada histamina, que pode bloquear as vias respiratórias deixando transparecer os primeiro sintomas da doença. Há de se ficar atento, já que o uso de alguns medicamentos, como a morfina, o contraste utilizado em raios-x e a aspirina podem causar reações alérgicas semelhantes à anafilaxia, porém tais reações devem ser tratadas de maneira diferente.

A anafilaxia, portanto, pode ser causada por reações do organismo a alguns tipos específicos de substâncias: medicamentos, alimentos ou picadas de insetos. A reação anafilática, ou choque anafilático, começa quando a substância alérgena chega na corrente sanguínea do paciente, e desencadeia uma reação como se fosse um anticorpo. Isso faz com que parte das células de substâncias que atuam nas reações imunes inflamatórias sejam liberadas. Para responder à reação, o próprio corpo, como defesa, obstrui as vias aéreas, podendo levar o paciente à asfixia.

A reação alérgica pode também dilatar vasos sanguíneos, diminuir a pressão arterial, além de facilitar a saída de líquido através das paredes dos vasos sanguíneos, resultando em edema e urticária. O coração pode funcionar de forma irregular e o paciente pode entrar em estado de choque.

Como tratar

O tratamento para a anafilaxia é feito, basicamente, com aplicação, via intramuscular, de adrenalina ou epinefrina. mas essa terapia só é indicada em mais graves, afim de evitar o risco de arritmias ventriculares no paciente. Em pacientes com problemas mais sérios de respiração, é possível a realização da instalação endotraqueal para o oferecimento de oxigênio, evitando uma parada cardiorrespiratória.

Deve-se atentar para o caráter emergencial da anafilaxia, portanto a crise, ou choque anafilático, merece acompanhamento e atendimento médico profissional imediato.

Como evitar

Para a prevenção, deve-se evitar o consumo de alimentos ou medicamentos que causam a alergia no paciente. É necessário, portanto, que saibamos ou conheçamos os elementos, alimentos, substâncias ou medicamentos que nos causam alergia, para evitarmos que a ingestão delas nos causem a anafilaxia.

Diminuidor

Comente!




*Campos obrigatórios

Os artigos desse site contém informações baseadas em pesquisas, estudos, consultas, experiências pessoais e livros. Deve-se sempre consultar um médico antes de tomar qualquer medida.