Fibromialgia

Se você frequentemente sente dores fortes nos músculos das costas, das pernas, dos braços, da cabeça ou em qualquer lugar do corpo, atente-se! Pode ser uma manifestação da fibromialgia.

Artigo publicado por Roberto Magalhães nas categorias: Dores

Diminuidor

A fibromialgia é uma espécie de distúrbio que atinge os músculos e os tecidos moles. E dói como se pequenas fagulhas atingissem o músculo. Não importa qual medicamento o paciente consuma a dor não vai embora.

Causas da fibromialgia

fibromialgia

Os especialistas estão em constante estudo sobre as causas e ocorrências de fibromialgia. Alguns, por exemplo, estão explorando as perturbações hormonais e desequilíbrios químicos que afetam a sinalização do nervo. Entretanto, outros acreditam que o caso de fibromialgia esteja ligado ao estresse, doença ou trauma. Há pesquisadores que defendem a causa hereditária ou dizem que não há explicação. A principal conclusão da medicina atualmente é que a fibromialgia não surge de um único evento, mas a partir de uma combinação de muitos fatores de estresse físico e emocional.

No entanto, as teorias sobre o que causa a fibromialgia são meramente especulativas.

Sintomas da fibromialgia

Pode haver a sensação de que os músculos estão sobrecarregados ou foram puxados mesmo que não tenham exercido. Às vezes, podem se contrair ou arder. Alguns pacientes com fibromialgia sentem dor e queimação ao redor das articulações no pescoço, ombros, costas e quadris. Este tipo de dor faz com que seja difícil dormir ou praticar qualquer exercício. Entre os principais indícios estão:

  • Dor muscular
  • Ansiedade
  • Problemas de concentração e memória
  • Depressão
  • Fadiga
  • Dores de cabeça
  • Síndrome do intestino irritável
  • Rigidez matinal
  • Cólicas menstruais mais dolorosas
  • Problemas para dormir ou insônia
  • Dormência e formigamento nas mãos, braços, pés e pernas
  • Pontos sensíveis no corpo
  • Dor ou frequência para urinar

Tratamentos para a fibromialgia

sintomas de fibromialgia

Quando se trata do tratamento para a fibromialgia, há drogas, remédios alternativos, e mudanças no estilo de vida que podem ajudar a diminuir a dor, melhorar o sono e controlar o estresse. Um médico especialista em fibromialgia, ou um ortopedista pode prescrever a medicação para dor ou antidepressivos para ajudar a acabar com a dor, fadiga, depressão e ansiedade que pode surgir com a doença. Além disso, o médico pode recomendar a terapia física (fisioterapia), exercícios aeróbicos regulares, relaxamento (meditação) e redução do estresse para ajudar o paciente a auto gerenciar seus sintomas.

Não há uma “pílula” que trata ou cura a fibromialgia. Uma abordagem multidisciplinar que utiliza ambos os medicamentos, alternativas ou estratégias de estilo de vida podem funcionar melhor para tratar os sintomas do problema.

Acupuntura

Estudos mostram que a acupuntura pode alterar a química do cérebro, através da liberação de neurotransmissores, que estimulam ou inibem os impulsos nervosos responsáveis pela transmissão de sensações, como a dor. Desta forma, a tolerância à dor do paciente é aumentada.

Fibromialgia e o trabalho

Quem sofre de fibromialgia pode trabalhar e fazer a atividade que quiser, contanto que não seja um trabalho relacionado à dor física.

Discuta abertamente a sua condição com seus chefes e colegas de trabalho. Conte sobre os sintomas de dor, fadiga e rigidez, deixando claro que você pode ter dias bons e dias ruins. Esta atitude irá dar às pessoas no seu ambiente de trabalho uma noção maior do que você sente a cada dia. Pergunte ao seu chefe se você pode ter períodos de descanso em dias ruins, ou se pode levar trabalho para casa.

Diminuidor

1 comentário

  1. valciney assunção de lima (26/08/2016)

    estou sofrendo muito com estresse, pois a cada dia sinto um sintoma diferente. estou fazendo acompanhamento psicológico e estou entendendo melhor o problema e claro tratando melhor também, gostaria de receber dicas para melhorar minha saúde, obrigado.

Comente!




*Campos obrigatórios

Os artigos desse site contém informações baseadas em pesquisas, estudos, consultas, experiências pessoais e livros. Deve-se sempre consultar um médico antes de tomar qualquer medida.