O que é a Conjuntivite Alérgica

Conheça um pouco mais sobre essa reação alérgica do organismo que traz uma série de transtornos para a visão do paciente acometido

Artigo publicado por Roberto Magalhães nas categorias: Doenças

Diminuidor

Também chamada de conjuntivite alérgica sazonal, de perene ou de Ceratoconjuntivite atópica, a conjuntivite alérgica nada mais é que o acometimento da camada transparente do tecido que reveste as pálpebras e a parte branca do olho por uma reação alérgica causada pelo contato com pólen, caspa ou mofo.

A doença é bastante comum na época da primavera, mas o tempo mais seco também aumenta a probabilidade do acometimento. Os agentes causadores da doença são praticamente os mesmos que causam a rinite alérgica.

A conjuntivite alérgica causa aumento da secreção dos olhos, lacrimejar constante, sensação de areia nos olhos, hipersensibilidade à luz e o avermelhamento da parte branca dos olhos. Este tipo de doença não é contagiosa, embora, muitas vezes, ela passe de um olho para o outro. A hereditariedade também é um fator que pode colaborar com o aparecimento da doença.

conjuntivite alérgica

Por que ocorre a conjuntivite alérgica

Como já foi dito, a doença o corre principalmente em épocas quentes e de tempo seco. A primavera, por conta da maior quantidade de pólen que se espalham pelo ar, é a época que concentra a maior quantidade de casos de conjuntivite alérgica.

A reação alérgica que causa a conjuntivite também pode ser originada pelo uso de maquiagem ou produtos de higiene de má qualidade ou fora do prazo de validade, pelo contato com o cloro da piscina, pela alta poluição do ar ou pelo uso ou compartilhamento de óculos ou lentes de contato.

Quando os olhos do paciente são expostos a qualquer substância que causa alergia, o organismo libera a histamina, e essa liberação faz com que os vasos sanguíneos na conjuntiva fiquem inchados.

Como tratar a conjuntivite alérgica

Existem algumas maneiras para o tratamento da conjuntivite alérgica. O melhor deles é evitar ou eliminar os agentes causadores dos sintomas, ou seja a prevenção.  Dentro do possível, deve-se evitar o contato com pólen, poeira e mofo.

Colírios lubrificantes podem ajudar a reduzir ou diminuir os sintomas da doença. Compressas feitas nos olhos, com água fria ou soro fisiológico, ministração de anti-histamínicos orais e pastilhas antiinflamatórias também ajudam a aliviar os sintomas e no tratamento da conjuntivite alérgica.

Como evitar a conjuntivite alérgica

Como já vimos no tópico acima, a prevenção é a melhor maneira de tratar a conjuntivite alérgica. Evitar grandes aglomerações e o contato com as substâncias que possam causar as reações alérgicas é de suma importância na prevenção. Lavar bem as mãos e evitar coçar ou mexer nos olhos também podem ser atitudes que evitam o acometimento pela doença.

Deve-se ficar atento também à substâncias que causam alergia e estar sempre em dia com os exames que detectam tais substâncias, para eliminar, de vez, os agente causadores da alergia. A conjuntivite e um problema comum nos grandes centros e bastante simples de ser tratada, mas quando mal solucionada podem representar quadros mais graves nos olhos e na visão do paciente acometido.

Diminuidor

Comente!




*Campos obrigatórios

Os artigos desse site contém informações baseadas em pesquisas, estudos, consultas, experiências pessoais e livros. Deve-se sempre consultar um médico antes de tomar qualquer medida.