Rubéola

Conheça um pouco mais sobre essa doença infectocontagiosa que acomete milhares de crianças em todo o mundo

Artigo publicado por Roberto Magalhães nas categorias: Doenças

Diminuidor

A doença conhecida como Rubéola é um problema infectocontagioso que pode ser causado pelo vírus conhecido cientificamente como Togavírus. O vírus causador da doença pode ser disseminado tanto pelo ar quanto pelo contato próximo com o infectado. Também conhecida como “sarampo alemão”, a Rubéola causa erupções na pele e outros problemas graves.

No caso da Rubéola congênita, transmitida de mãe para filho, durante o período de gestação, o feto pode adquirir a forma mais grave da doença, que provoca malformação, surdez e problemas visuais na criança.

A doença já foi mais comum no mundo todo, porém após a descoberta da vacina tríplice, que já faz parte do calendário de vacinação do SUS, o Sistema Único de Saúde, do Ministério da Saúde, os casos foram praticamente zerados em todo planeta.

sintoma de rubéola

Sintomas

Os sintomas da Rubéola, em seu período inicial, são bastante parecidos com os sintomas da gripe. Dor de cabeça, dificuldade e dores para engolir, dores nas articulações e nos músculos, aparecimento de ínguas, principalmente no pescoço e nas axilas, coriza, febre e manchas avermelhadas pelo corpo são os principais sintomas da doença. Os pacientes acometidos pela Rubéola podem apresentar ainda hematomas que evoluem da face para o restante do corpo e inflamação no globo ocular.

Diagnóstico

Por se tratar de uma doença com sintomas bastante parecido com de várias outras doenças, como a gripe ou o resfriado, o diagnóstico da Rubéola precisa de exames específicos para ser garantido. O exame mais comum para a detecção da doença no organismo é o exame sorológico, que analisa amostras do sangue do paciente para identificar a presença do vírus causador no organismo.

Prevenção

A melhor maneira para se prevenir da Rubéola é mesmo com a vacinação prévia. Atualmente a vacina é recomendada para todas as crianças e é aplicada em bebês da faixa entre os 12 e 15 meses de vida, com doses extras de reforço nas crianças entre os 4 e os 6 anos de idade. Além da Rubéola, a tríplice viral, que faz parte do calendário oficial de vacinação do Brasil, também previne contra o sarampo e contra a caxumba.

É importante ressaltar que não deve-se vacinar mulheres grávidas e nem pessoas com baixa imunidade devido ao tratamento do câncer.

dor de cabeça causada por rubéola

Tratamento

Não existe cura para a Rubéola, portanto o tratamento é feito para o controle e para a redução dos sintomas do paciente. Medicamentos antitérmicos e analgésicos são bastante utilizados neste tipo de tratamento para diminuir as dores de cabeça e no corpo e para baixar a febre do acometido.

Recomenda-se também que o paciente ingira bastante líquido e faça repouso evitando a prática de atividades que exigem esforço físico durante o período de tratamento da doença.

Por se tratar de uma doença de alto nível de contágio, recomenda-se ainda que o paciente acometido não entre em contato com crianças, mulheres grávidas ou pessoas com baixa imunidade para evitar outros contágios em seu convívio.

Diminuidor

1 comentário

  1. carol (29/05/2014)

    Nossa tem que ter cura pra essa doença.a pessoa que tem Rubéola deve sofrer muito Jesus tome conta de cada um que sofre dessa terrível doença

Comente!




*Campos obrigatórios

Os artigos desse site contém informações baseadas em pesquisas, estudos, consultas, experiências pessoais e livros. Deve-se sempre consultar um médico antes de tomar qualquer medida.