Síndrome das Pernas Inquietas

Conheça o que é e quais as principais consequências desse problema que acomete as funções motoras dos membros inferiores

Artigo publicado por Roberto Magalhães nas categorias: Doenças

Diminuidor

Também conhecida como Síndrome de Ekbom, a Síndrome das pernas inquietas é um distúrbio que causa alterações bruscas e repentinas na sensibilidade motora involuntária dos membros inferiores. A doença caracterizada também pela agitação do paciente também pode acometer os braços ou membros superiores do paciente.

A verdadeira causa da doença ainda não é conhecida dos cientistas, porém o que sabe é que por ocorrer com maior frequência durante a noite, quando as pessoas normalmente estão dormindo, o distúrbio apresenta muitas consequências ao paciente, como a diminuição da qualidade de vida. A pessoa acometida costuma ter dificuldade para frequentar cinema, teatro, assistir televisão, participar de reuniões e até mesmo fazer viagens muito longas.

homem dormindo com s;indrome das pernas inquietas

Estima-se que a doença pode ser causada pela predisposição genética do paciente ou a deficiência ou falta de dopamina e de vitamina como o ferro nas áreas que correspondem às funções motoras do sistema nervoso central do paciente.

A Síndrome pode acometer indivíduos de qualquer faixa etária, mas é mais comum na idade adulta e na terceira idade.

Sintomas

Os sintomas da doença costumam aparecer com maior frequência durante o momento de sono do paciente, porém também podem ocorrer em situações onde o paciente fica parado muito tempo na mesma posição. O paciente acometido passa a dormir mal e apresenta alta sonolência, cansaço, indisposição e irritabilidade durante o dia.

Muitas pessoas confundem o quadro da Síndrome das pernas inquietas com o da insônia e protelam o tratamento do verdadeiro caso. Deve-se atentar-se às verdadeiras causas da dificuldade para dormir para conseguir se obter um diagnóstico seguro e seguir um tratamento adequado para esse tipo de doença.

Diagnóstico

O diagnóstico para esse tipo de caso é basicamente clínico e feito a partir da análise dos sintomas retratados pelo paciente. Porém, em alguns casos pode ser necessário também avaliação de reflexos, a sensibilidade e a intensidade da sensação de dor do paciente para complementar o diagnóstico seguro do quadro.

Exames laboratoriais como a polissonografia que mede e quantidade ou os teores de ferritina e tranferrina também ajudam na confirmação do diagnóstico. Ambas as substâncias são responsáveis pelo transporte de ferro na sangue.

Prevenção

Para se prevenir da Síndrome das pernas inquietas deve-se evitar o consumo de cafeína, de álcool e do tabaco, além de praticar exercícios físicos regularmente. A ingestão de medicamentos antidepressivos ou neurolépticos também podem aumentar a propensão para o acometimento pelo distúrbio.

Além de hábitos saudáveis, recomenda-se também a ingestão regular de alimentos que sejam ricos em ferro, como o feijão, por exemplo, para estimular a produção de dopamina.

homem chutando

Tratamento

Para o tratamento do distúrbio recomenda-se a ingestão de medicamentos benzodiazepínicos e outros como o pramipexole e o ropinele, ambos estimulantes dos receptores de dopamina do sistema cerebral.

O tratamento deve ser feito sob acompanhamento médico e deve ser seguido até o final, para evitar que a síndrome causa transtornos ainda maiores na qualidade de vida do paciente.

Diminuidor

1 comentário

  1. Carolina (06/04/2014)

    gostaria de receber imagens de vermes ainda pequenos

Comente!




*Campos obrigatórios

Os artigos desse site contém informações baseadas em pesquisas, estudos, consultas, experiências pessoais e livros. Deve-se sempre consultar um médico antes de tomar qualquer medida.