Tifo epidêmico

Saiba o que é e como evitá-lo

Artigo publicado por Roberto Magalhães nas categorias: Doenças

Diminuidor

Também conhecida como tifo exantemático, o tifo epidêmico é uma doença causada pela bactéria Rickettsia prowazekii. Tal bactéria tem como principal hospedeiro o piolho humano, de nome científico Pediculus humanus. Esses parasitas se desenvolvem dentro das células intestinais dos piolhos que, ao largarem seus dejetos, acabam por liberá-los e, em contato com o organismo do indivíduo por meio de feridas e fissuras localizadas na pele, muitas vezes geradas pela própria pessoa, enquanto se coça da ação dos piolhos, causa a doença.

Assim que a bactéria adentra na corrente sanguínea do paciente, a febre, a dor de cabeça e os calafrios surgem repentinamente. Os sintomas, aliás, são bastante parecidos com os da influenza: febre alta, dor de cabeça forte, prostração, fadiga, calafrios, febre alta e surgimento de manchas vermelhas pelo corpo. Em casos mais graves, o paciente pode sentir ainda delírios, falta de consciência, hemorragias, alem de ver o quadro evoluir para pneumonia, trombose, vasculite, gangrena, colapso circulatório, miocardite, uremia e erupções cutâneas.

Por se tratar de uma doença altamente contagiosa e transmitida por um vetor típico de aglomerações humanas e acostumado a viver em locais sujos, os países menos desenvolvidos e populações mais carentes costumam sofrer com mais casos do tifo epidêmico. Para se ter uma ideia, a doença já foi causa de muitas epidemias mortíferas, principalmente em prisões e em tempos de guerra e de grandes conflitos.

hospedeiro do tifo

Por Que Ocorre

Como já vimos, a doença ocorre principalmente em situações ou populações que sofrem com baixas condições de higiene. Quando o piolho pica o indivíduo, ou consegue o contato com a corrente sanguínea através de machucados ou lesões na pele, a bactéria causadora do problema se multiplica muito rapidamente no organismo do acometido. A exposição a pulgas ou fezes de ratos, além do contato com animais como gatos, gambás, guaxinins e cangambás também podem contribuir para o acometimento por esse tipo de tifo.

Como Tratar

O tratamento deste tipo de doença consiste basicamente na toma de medicamentos antibióticos, tais como a doxiciclina, a tetraciclina ou o Cloramfenicol.  Pacientes com tifo epidêmico podem precisar ainda de líquidos intravenosos e suplementos de oxigênio para combater a bactéria presente na corrente sanguínea e em outras partes do organismo acometido. Nos casos mais avançados da doença, pode ser necessária ainda a administração de medicamentos à base de corticosteróides para aliviar ou reduzir os sintomas do paciente.

piolho

Como Evitar

Para prevenir a doença devem-se adotar medidas sanitárias e de higiene para controle dos insetos vetores que transmitem a infecção. Conter a proliferação descontrolada dos animais que podem servir de abrigo de piolhos e pulgas também ajudam na prevenção. O uso de repelentes químicos e de roupas que cubram todo o corpo, inseticidas e banhos regulares são essenciais no tratamento, além de evitar regiões onde há pulgas ou piolhos de ratos.  Em casos do paciente conviver em locais onde há os vetores da bactéria causadora, as roupas de banho, íntimas e de cama devem ser fervidas para eliminar a presença e, principalmente, a proliferação dos piolhos ou pulgas que carregam consigo a tal bactéria causadora da doença.

Diminuidor

Comente!




*Campos obrigatórios

Os artigos desse site contém informações baseadas em pesquisas, estudos, consultas, experiências pessoais e livros. Deve-se sempre consultar um médico antes de tomar qualquer medida.